Inação constrói uma realidade não desejada

Vejo muitas pessoas vitimizando-se por inúmeros motivos, muitas, aliás, são capazes de dar um retrospecto de seu infortúnio desde os tempos de criança!

Vida econômica, relacionamento familiar, saúde, tudo é motivo para lamúrias.

Entretanto, algo que percebo também nessas pessoas é a capacidade de inação, que conforme um dicionário é: “falta de ação, inatividade, inércia, ausência de certeza, falta de ânimo, de vigor, de energia”.

Ainda, falta uma última palavra de designa inação, a qual reservei para uma exclusiva linha: “preguiça”.

Claro que há exceções. Há exceções para tudo. Há pessoas que fazem de tudo, são ativas, mas tudo parece dar errado. Se você é uma dessas, a primeira sugestão que me vem à mente é “vá se benzer!” Mas esse é outro tema, voltemos para a inação.

Quando há inação ocorre também uma construção. A vida da pessoa vai sendo construída, ela queira ou não. Cada dia um tijolo, mas sem plumo, sem nível, sem os traços adequados, e com tijolos desalinhados. O resultado, portanto, pode ser qualquer um. Mas como geralmente a inação leva para uma construção terrivelmente ruim, não desejada, ocorrem as lamentações, a vitimização.

Ficar parado, esperando, não resolve nada, apenas fortalece a frustração, e o fundo do poço parece que está logo ali.

Mesmo os mais chegados percebendo e tentando despertar algo na pessoa, dizendo “faça diferente; acorde; o tempo passa; mude de vida; estude; procure outro emprego etc”. Palavras estas que vêm contextualizadas com extensos diálogos, o despertar não acontece.

Mais do que palavras, muitas são ajudadas com recursos financeiros, cursos, oportunidades de emprego, e até mesmo com alimentos, quando estão em intensa prostração. Contudo, permanecem inativas, com falta de ânimo, vigor, preguiça.

Lembro do tempo em que a minha situação estava não muito agradável, então passei finais de semana estudando para a prova de carteiro. Resultado, passei no concurso e trabalhei por pouco mais de quatro anos nessa função. Por último, não suportava mais aquele trabalho. Então levantava ainda mais cedo, antes do trabalho, e estudava, e estudava ainda mais nos finais de semana, dividindo o tempo com a esposa e os dois pequenos filhos. Resultado, passei em outros concursos. – Dois dos momentos mais felizes e inesquecíveis da minha vida:  entrar nos Correios e sair dele.

Sou muito grato pela experiência que tive e pelo sustento que dali tirei. Mas estava descontente, e se tivesse ficado me lamentando, com preguiça de estudar e enfrentar novos caminhos, este ano estaria 20 anos pedalando uma bike amarela.

Sim, a inação constrói, constrói um abismo, uma casa sem pilares, uma vida que a qualquer momento pode desmoronar e nunca mais ser construída de uma maneira desejada, ajeitada e verdadeiramente feliz.

Então sinta-se, ouça-se, veja-se. E se você perceber que as lamentações e a vitimização, até mesmo em pensamentos, tomam grande parte do seu tempo, abra os olhos, levante-se e busque retomar as rédeas de sua vida.

Como? Ah, isso são várias outras páginas. Talvez, comece visitando uma benzedeira, um cheiro de arruda e uma oração são sempre bem-vindos para iluminar uma nova jornada.

A arruda, dizem, é boa contra a ansiedade; a benzedeira, dizem, invoca a proteção divina para alguma pessoa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s