Segredos a esconder

A luz da praça é fraca,
Este velho banco de madeira é desconfortável,
Olho várias vezes para o relógio,
Está quase na hora de você chegar.

Mas eu não sei como vou te olhar,
Acho que pela primeira vez não irei sorrir,
Pois tantos segredos tenho a esconder,
Como a noite que chega
E no céu não há estrelas.

As folhas farfalham sem parar,
Um casal passa e me cumprimenta,
Mas eu não consigo nem ao menos balbuciar,
Pois meus sentimentos estão em intensa tormenta.

Ensaio mentalmente como vou dizer
Que não mereço mais o seu amor,
Embora o porquê não possa dizer,
Pois tenho tantos segredos a esconder.

Ao longe você se aproxima
Conheço as curvas do seu corpo
Pois tantas vezes eu as beijei
E acariciei com minhas mãos

O tempo parou
O silêncio
A angústia
O arrependimento

Tenho tantos segredos a esconder
Não vou conseguir te olhar
Não vou conseguir falar que te amo
E nem suplicar o teu perdão

O som do seu sapato está mais forte,
Você é uma linda e jovem mulher
E seguirá em frente

As flores que comprei já murcharam

Desvio do seu olhar
Desvio do seu beijo
Desvio do seu toque
Desvio do seu amor

Mereci o seu tapa e o seu desprezo
Sua intuição foi soberana e voraz
Se afasta sem olhar para trás

Se você soubesse…

Tenho tantos segredos
Que não suporto respirar,
Mereço morrer na solidão,
Perdi você, meu grande amor.

 

imagem: https://www.eusemfronteiras.com.br/a-quem-culpar/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s