"Stammtisch Jaraguá do Sul"

“Festa dos amigos”, o título até que soa sugestivo, ainda mais quando vem junto a palavra “tradição”. Ou seja, uma festa tradicional dos amigos. Não tem algo melhor, pensava eu.

Entretanto, eis que a chamada “stammtisch”, depois que visualizei alguns eventos, cheguei a conclusão que essa tal tradição não passa de uma desculpa para alguns encherem a cara de cachaça, cerveja, ou seja lá o que for; pois se não tiver álcool, pensam eles, não tem graça, e se não tem graça, não tem festa, e se não tem festa, não tem reunião com os ditos amigos.


A primeira vez que vi uma stammtisch foi na rua dos Imigrantes, organizada por um diretório acadêmico de uma universidade. Entretanto, infelizmente, eu conheci o depois da festa, momento em que as barracas foram desmanchadas e as pessoas foram embora. O que restou, para minha surpresa, foi uma montanha de lixo, copos, latas de cerveja, e tudo o que a gente pode imaginar. Pensei comigo, quem fez isso foram acadêmicos e seus amigos. Fiquei imaginando como teria sido à noite, com todo aquele povo e o álcool para lubrificar as relações interpessoais.
O segundo encontro com a stammtisch foi no centro de Jaraguá do Sul, mais especificamente na praça Ângelo Piazera. O que vi foi outra abominação, muita gente bêbada, homens, mulheres. A tal festa dos amigos não vi, pois se a amizade significar encher a cara, andar cambaleando pelo centro, tentar falar enquanto baba e fazer de conta que a rua é um ringue de luta livre, muito obrigado, prefiro ficar sem amigos.


Pois bem, ao menos no ano passado e neste ano, a tal tradição foi realizada num cercado, deixando livres as ruas para as pessoas de bem, sóbrias e de andar ereto.
Ao menos nisso acertaram, pois as pessoas normais não são obrigadas a desviar de pessoas vomitando na rua, em plena luz do dia. As pessoas não são obrigadas a ver um bando de desocupados que se reúnem para beber nas ruas, com o consentimento da prefeitura e outros órgãos.
Espero, sinceramente, que as próximas festas ditas tradicionais, e dos “amigos” continuem lá, ou acolá, em qualquer ambiente cercado. E ainda deixo uma sugestão: que a polícia intensifique a fiscalização no trânsito, pois nós, as pessoas sóbrias, não precisamos temer que os ditos amigos saiam com seus veículos, mirando em postes, ou pior, mirando nas famílias que caminham pelas calçadas ou que transitam com outros veículos pelas ruas da cidade.

Ainda digo mais, de todas as tradições que esta majestosa cidade possui, esta tal de stammtish bem que poderia ser extinta, simples assim.

imagem 1: http://www.oregionalsc.com.br/web/b2-eventos-promove-a-stammtisch-universitaria/
imagem 2: http://www.leiloeshd.com.br/xinguara-bebedeira-entre-amigos-acaba-em-furto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s