Releitura: "O país dos ricos de alma pobre"

13
Se tem uma sugestão que sempre dou às pessoas é “leiam, sempre leiam”. Não importa se é revista, jornal ou livro, o importante é ler.
Revista ou jornal, “desatualizados” ou não, em suas leituras, em momentos diferentes, podem oferecer uma extração de mensagens bastante diversificada. Assim, a leitura proporciona sempre uma releitura, um ponto de vista diferente, passíveis de outras reflexões e argumentações.
Sempre encontro esse material, que não seja do dia, da semana, ou até mesmo do corrente mês, em salas de estar de escritórios e consultórios médicos.
Assim, estava eu num desses lugares, com uma dessas fontes de informação, quando me deparei com um sugestivo título “O país dos ricos de alma pobre”, da revista Veja, da primeira semana de julho.
Embora tivesse a sensação que de já tinha lido a referida entrevista, pus-me a lê-la novamente.
O entrevistado foi o autor de novelas da Rede Globo, João Emanuel Carneiro, e o assunto foi a novela Avenida Brasil, de sua autoria.
De tudo o que foi dito, extraí algo que chamou a atenção, e que ele procurou ressaltar na referida novela. O autor afirmou que na sociedade atual as pessoas almejam a riqueza, somente isso, deixando a cultura do lado de fora dos pedidos e orações. E quando essas pessoas realmente ganham dinheiro, deixam precário o lado cultural e também o escolar.
Explicita que isso acontece, geralmente, com os jogadores de futebol, com cantores e artistas, e qualquer pessoa que num dia adormece numa cama na periferia e noutro dia acorda na área nobre da cidade, sem preocupações financeiras.
Também convirjo para essa visão; pois, meus amigos, ganhar dinheiro é o desejo da imensa maioria das pessoas. Não sonham em frequentar uma faculdade de qualidade; não sonham em ir ver uma peça teatral, ou a uma ópera; não sonham em manter uma qualidade de vida sã, com alimentação e hábitos saudáveis.  
As pessoas querem – principalmente a maioria dos jogadores de futebol, exemplo clássico dos ignorantes que sabem fazer gols e ganham dinheiro para isso – é comprar carrões esportivos, colocar um boné virado para trás, ostentar uma corrente chamativa no pescoço, “pegar as minas” e dançar funk na comunidade. – Não é isso o que aconteceu com o jogador Adriano e com muitos outros que passam nos telejornais todos os dias?

Eles dizem sim: ao dinheiro e ao poder de compra, às roupas de grife e jóias caras…
Eles dizem não: ao preenchimento cultural, à faculdade, à inteligência, à leitura de livros…
E, para piorar todo esse cenário, vemos uma legião de fãs enlouquecidos  cortando e pintando o cabelo como eles, vestindo-se como eles, falando errado como eles…
Sem falar em outras classes de “pobres – famosos – ricos”…

Infelizmente, sou obrigado a concordar com o título da entrevista: “O país dos ricos de alma pobre”.

imagem: http://entretenimento.r7.com/famosos-e-tv/fotos/veja-fotos-de-vera-fischer-internada-em-clinica-do-rio-20110728.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s